Voltar

A Menopausa de Hoje Não é Igual a de Nossas Mães

 

Por la Dra. Vivian Diller. 

Talvez a menopausa seja encarada com tantos receios porque marca o fim da fase reprodutiva da mulher, mas o que sabemos é que as mulheres de hoje em dia não estão mais sofrendo em silêncio. Estamos conversando com nossos amigos, familiares e especialmente nossas filhas, então muitos de nós estão aprendendo sobre o que a experiência de fato representa.

Na era da informação, o tabu da menopausa está, finalmente, sendo quebrado, para confirmar este fato relacionamos temas como eram encarados antigamente versus como são abordados nos dias de hoje. Você vai perceber como a vida da mulher mudou e para melhor!

 

Menopausa como uma doença vs uma fase natural da vida 

Antigamente: houve uma época em que a menopausa era considerada uma doença que precisava de tratamento. É muito provável que sua mãe tenha sido encorajada a iniciar terapias de reposição hormonal para tratar o que, na época, acreditava-se ser uma enfermidade. Essa era a abordagem médica comumente usada até muito pouco tempo atrás, quando estudos levantaram questões polêmicas a respeito dos benefícios versus efeitos colaterais fatais da reposição hormonal. Após a divulgação das pesquisas a reposição hormonal foi sendo abandonada pelos médicos gradativamente.

Quando a menopausa era encarada como uma doença, a tendência era mantê-la em segredo, em alguns casos, buscava-se tratamento, porém, tudo ocorria no mais absoluto silêncio. 

Hoje em dia: raramente descrita como uma doença. Classificada como sendo a fase de transição da vida que afeta emocionalmente e fisicamente as mulheres. Os sintomas mais comuns da menopausa, ondas de calor e acne, por mais incômodos que sejam, não associam a menopausa a qualquer tipo de doença. Quaisquer alterações hormonais afetam nosso desejo sexual e assim como na adolescência aprendemos a lidar com as mudanças. Enquanto algumas mulheres optam pelas tradicionais terapias de reposição hormonal, outras se adequam melhor aos tratamentos médicos. Além, é claro, das que vão além do óbvio, e adotam grandes mudanças no estilo de vida começando pelos hábitos alimentares, suplementos vitamínicos, yoga, acupuntura entre outros. Outras preferem ser mais discretas quanto à sua mobilização e recorrem aos produtos para alívio imediato, porém, neste caso, fica claro que o problema está sendo apenas postergado.

Uma coisa é certa, as mulheres encaram a menopausa, como uma fase desafiadora e natural da vida de toda mulher moderna, como tantas outras fases, e é isso que as tornam tão especiais.

 

Sintomas de velho vs o envelhecendo acontecendo naturalmente 

Antigamente: tradicionalmente a menopausa foi equiparada a estar velha e sem valor. Há pouco tempo, quando a expectativa de vida beirava os 50 anos, as mulheres criavam seus filhos e, então, tinham uma ou duas décadas para viver. A infertilidade era associada a perda do seu valor para a sociedade. As mulheres eram abandonadas pela sociedade da época, exceto em sua capacidade de serem avós. 

Hoje em dia: a medida que a expectativa de vida se estende para além dos 80 anos, as mulheres sentem que tem um longo percurso a ser percorrido. A partir de então a menopausa é vista mais como uma pausa do que como o término de algo. Além disso, seguindo a revolução feminista, a falta de fertilidade não tem mais o mesmo significado. As mulheres começaram a se envolver em uma ampla variedade de papéis que as mantém ativas na sociedade muito tempo depois de terem criado seus filhos. Chegaremos na menopausa, com a única certeza de que seremos produtivas e lucrativas por muito tempo ainda.

 

Mulheres no precipício vs mães sensuais nas capas de jornais 

Antigamente: no passado, a maioria das pessoas não acreditava que a atratividade, a sexualidade e a sensualidade estivessem nas mentes das mulheres na menopausa. Qualquer pessoa acima dos 50 anos era vista como idosa, raramente retratada pela mídia, exceto como mães ou avós. As mulheres eram desencorajadas a serem vaidosas já, que perante a sociedade, elas não serviam mais para serem amadas. E as poucas que ainda se cuidavam, faziam em silêncio para não serem julgadas como inadequadas para a sociedade. 

Hoje em dia: temos Meryl Streep, Helen Mirren e Sally Field, para citar algumas das mulheres que protagonizam nas grandes mídias (considere o filme cômico “Um Divã para Dois” sobre um casal de meia idade - Meryl Streep e Tommy Lee Jones - trabalhando para restaurar a intimidade e o sexo em seu casamento). Sem dúvida as mulheres experimentam mudanças na libido, mas isso não significa que o sexo não possa ser feito com diversão ou intimidade após a fase da menopausa. O casal precisa manter as atividades sexuais dessa vez para fins recreativos e que fique claro que, sensualidade é sobre paixão e não juventude.

Hoje, as mulheres estão se vestindo de maneira elegante, se exercitando e buscando intimidade até os anos 80-90 anos. As mulheres na menopausa estão redefinindo o que significa ser atraente aos 50 anos e além, estão muito longe de não se importar com sua autoimagem. 

Quanto mais mulheres compartilharem suas experiências umas com as outras, melhor lidaremos com essa desafiadora fase da vida. A menopausa de hoje não é como a de nossas mães e, se continuarmos nos empoderando, certamente a próxima geração será beneficiada.

 


Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.
Previous
Next
More Articles
Previous
Controlar Alterações de Humor na Menopausa
Next
Sentindo o dreno energético na menopausa? Veja como recuperá-lo!