Voltar

Fisioterapia do Assoalho Pélvico para Mulheres

 

Os benefícios da fisioterapia no assoalho pélvico para mulheres

Escrito por Dra. Jennifer Berman, M.D.

 

A fisioterapia do assoalho pélvico tem demonstrado ser benéfica para uma ampla gama de sistemas, incluindo gastrointestinal, sexual e reprodutivo, ortopédico, neurológico e dermatológico. É, também, um potencial tratamento adicional para as condições de dor pélvica. 

Para as mulheres, em particular, a vagina, a uretra e os intestinos, são vizinhos tão próximos que um efeito adverso para um pode atrapalhar a função dos três. Os músculos que envolvem estes órgãos desempenham um papel importante na sua capacidade de funcionar suavemente, por isso, se os músculos do pavimento pélvico entrarem em espasmo ou se contraírem involuntariamente, isto causa dor e outros problemas para a pélvis. A dor nessa área pode se transferir para regiões vizinhas, como parte inferior das costas, coluna, quadris e nádegas. É aqui que a fisioterapia do assoalho pélvico entra em ação.

 

A fisioterapia do assoalho pélvico trata uma ampla gama de problemas, incluindo:

 

  • Dor pélvica e da bexiga
  • Relação sexual dolorosa
  • Dor ao usar tampões
  • Vaginismo: contração espasmódica dolorosa da vagina, de contato físico ou pressão
  • Incontinência urinária, frequência ou urgência
  • Problemas pós-gravidez: Separação dos músculos abdominais ou diástase dos retos, dor lombar ou dor nas articulações SI
  • Infertilidade
  • Endometriose
  • Dor abdominal de cirurgia ou tecido cicatricial;
  • Cura por abuso sexual, estupro ou trauma

 

Também pode ser usada para tratar a cistite intersticial, muitas vezes enigmática. 

Fisioterapeutas pélvicos tratam o sistema musculoesquelético do assoalho pélvico, tanto interna como externamente. Uma avaliação inicial dará ao terapeuta uma ideia de onde estão as áreas problemáticas do paciente, antes de agir diretamente. Eles normalmente começam observando como o paciente se senta, se levanta e caminha. 

Para técnicas internas, o fisioterapeuta pode manualmente massagear torções ou “pontos de gatilho”, que são músculos ou espasmos apertados encontrados no assoalho pélvico. Esses sintomas estão frequentemente relacionados à cistite intersticial. 

Se esta simples correção não aliviar a dor pélvica, o terapeuta também avaliará o funcionamento inter-relacionado das regiões colorretais - vulvar, vaginal e retal - para encontrar as causas subjacentes. Como o fisioterapeuta do assoalho pélvico pode examinar e tratar várias áreas problemáticas de uma só vez, os pacientes têm uma chance melhor de resolver seu problema, eliminando a necessidade de ir a vários médicos especializados em uma área específica dentro da região colorretal. 

A terapia externa pode incluir massagens profundas do tecido, laminação da pele, terapia externa com "ponto de gatilho", liberação do nervo e mobilização articular. Essas técnicas geralmente serão administradas antes da terapia interna, para que o paciente fique confortável com os processos. 

Há também exercícios e técnicas úteis, que os pacientes podem usar em casa. Estas incluem técnicas gerais de relaxamento, como visualizar o relaxamento dos músculos do assoalho pélvico, alongamentos nas costas e nas pernas e um foco na boa postura. 

Devido à capacidade do fisioterapeuta pélvico de ver o quadro geral dentro da região, eles têm uma vantagem em diagnosticar e tratar problemas que surgem nesta e em outras áreas dentro do sistema musculoesquelético. Eles também podem discernir outras condições, que são negligenciadas ou diagnosticadas erroneamente pelos clínicos gerais. 

Quando um paciente pode superar qualquer desconforto inicial com o processo prático, a fisioterapia do assoalho pélvico pode, potencialmente, ter efeitos duradouros e de longo alcance, na erradicação da dor pélvica e de condições semelhantes.

 

A Dra. Jennifer Berman, urologista e co-apresentadora recorrente em “The Doctors”, juntou-se à Plenitud, para fornecer informações sobre problemas de bexiga e questões relacionadas.



 

 

 

Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.
Previous
Next
More Articles
Previous
Dicas fáceis para controlar a Incontinência Urinária
Next
Mudanças Simples, Grandes Resultados para Quem tem Incontinência Urinária