Voltar

7 coisas para dizer ao especialista na primeira consulta sobre perda involuntária de urina

 

Escrito pela Dra. Jennifer Berman, experta em Urologia y Saúde Sexual. 

Ir ao médico pode ser um processo desafiador, com nossas agitadas vidas, muitas vezes não fazemos de nossa saúde uma prioridade até que algo esteja errado. Mesmo quando vamos, é muito difícil comunicar ao médico tudo o que queremos, ainda mais se precisamos resumir o que sentimos em um tempo de 15 minutos. 

Um dos temas mais comuns que as pessoas têm dificuldades para falar é a incontinência - a perda involuntária de urina em quantidade e frequência suficientes para provocar angústia tanto física quanto emocional. A incontinência é um assunto difícil de lidar, mas quando se transforma em algo que enfraquece a qualidade de vida, é hora de ir a um profissional. A perda involuntária de urina não é razão para se envergonhar, além disso, saiba que você não está só.

 

A incontinência é um problema médico e seu doutor ou enfermeira pode ajudá-lo encontrar uma solução. Listamos a seguir algumas recomendações para você:

 

Fale com seu médico sobre quando seus sintomas começaram e por quanto tempo você os experimentou. Existem muitos tipos de incontinência, por isso é importante falar sobre seu padrão de urina com seu médico para ajudá-lo a determinar qual é o tipo e qual é o melhor tratamento. Como já disse, existem muitos tipos de incontinência: de esforço, de urgência, bexiga hiperativa, funcional, por transbordamento, mista, transitória e mais. É muito importante observar atentamente sua incontinência urinária para que você e seu médico possam concluir qual é o tratamento apropriado para o seu caso.

 

Informe o seu médico como essa condição está afetando sua vida. Este é seu corpo e sua vida, então não minimize! Este é um tema médico verdadeiro e não há nada para se envergonhar. Seja cuidadoso falando dos seus sintomas. Não deixe que a vergonha seja a razão pela qual você não recebe o tratamento necessário. Diga quais atividades prefere não fazer. Você não tem que desistir ou planejar sua vida ao redor do banheiro.

 

Seja claro e sincero sobre seu estilo de vida e padrões de conduta. Seus padrões de conduta podem ser a principal causa de sua incontinência urinária. Por exemplo, a quantidade de líquidos que bebe, alguns alimentos que pode estar comendo e seus padrões para esvaziar a bexiga podem afetar a saúde do sistema urinário, bem como a função e controle da bexiga. Há também muitos medicamentos prescritos e suplementos comuns que a medicina descobriu piorarem a perda involuntária de urina. Alguns dos gatilhos para a incontinência urinária são a cafeína, o álcool e a nicotina, comida apimentada e até mesmo o chocolate. Se alguns desses alimentos ou hábitos são repetitivos na sua rotina, a suspensão deles poderia ser a solução! Mas independente da solução vir por meio de alterações no estilo de vida e comportamento, medicamentos e produtos para a incontinência como Plenitud, cirurgia ou uma combinação de tratamentos, falar honesta e abertamente com o seu médico é sempre a melhor escolha.

 

Informe o seu médico de todos os sintomas. Se urinar for doloroso, você tiver dor pélvica, houver sangue na urina ou tiver sintomas que surgem muito rápido ou drasticamente, consulte seu médico imediatamente. Embora este não seja o caso comum, às vezes a incontinência urinária pode ser sinal de um problema maior ou mais urgente. Se você está experimentando algum ou todos os sintomas acima é ainda mais importante que discuta sinceramente a situação com um profissional.

 

Mencione também se você está tendo dificuldades com as evacuações. Existem duas razões para falar disso. Primeiro, a constipação pode exercer a pressão sobre a bexiga, e segundo, os pacientes com problemas intestinais muitas vezes tem problemas urinários e vice-versa. Os nervos que controlam a bexiga também controlam o cólon, o que faz com que algumas pessoas percam tanto fezes quanto urina.

 

Diga ao seu médico se você sente alguma dor ou desconforto durante suas relações sexuais. Os pacientes algumas vezes oferecem informação voluntária sobre como sua vida sexual fica afetada negativamente por causa da incontinência. Muitas vezes as mulheres têm medo da perda involuntária de urina ou dores durante as relações sexuais e como resultado, evitam as situações íntimas. É importante que você comente com um profissional dessas dores durante as relações, já que pode ser um sinal de desequilíbrio hormonal. Em certos casos, as mulheres têm perda involuntária de urina com a penetração devido à pressão sobre a bexiga, e em outros casos, as mulheres podem ter escapes durante o orgasmo. Há muitos métodos e formas de curar, ou pelo menos de aliviar a incontinência, por isso é tão importante conversar com o seu médico.

 

Questione sobre os sintomas associados à atrofia vulvovaginal. Muitas mulheres com incontinência e sintomas de secura, irritação, dor, urgência e frequência urinaria tem atrofia vulvovaginal, porém, as mulheres com frequência não informam os sintomas, e não recebem tratamento. É muito importante que fale com o seu médico sobre isso, já que pode ser facilmente tratado com estrogênio vaginal de uso tópico. 

Você não tem que viver com incontinência urinária. É muito comum e há muitas opções que são fáceis, de baixo risco e não cirúrgicas. Muitas pessoas vivem com perda involuntária de urina e, como resultado, podem se retrair socialmente ou ficar deprimidas. É possível que nunca sejam diagnosticados e tratadas. Muitos têm vergonha de falar sobre isso com seus médicos, ou simplesmente acham que não há nada a fazer. Não seja uma dessas pessoas! Fale com o seu médico, recupere sua vida e comece a ter o alívio que deseja.

Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.
Previous
Next
More Articles
Previous
Escapes de urina depois do parto: por que acontece e o que fazer a respeito
Next
Plantas Medicinais para a saúde do Trato Urinário