Voltar

Bexiga neurogênica: causas e tratamento

 

Milhões de pessoas possuem bexiga neurogênica, uma forma de incontinência que ocorre quando a bexiga é incapaz de relaxar ou contrair. Como o cérebro controla todo o nosso corpo, qualquer disfunção ou trauma no cérebro e no sistema nervoso central pode afetar as funções corporais. A bexiga neurogênica pode se apresentar de duas maneiras:

 

  • Incontinência por transbordamento: quando a bexiga está cheia acima de sua capacidade e não pode se contrair para esvaziar adequadamente.

     

  • Incontinência de urgência: espasmos súbitos e urgentes dos músculos da bexiga que causam perdas urinárias.

 

As causas da bexiga neurogênica variam dependendo do nível da lesão e da causa, mas o fator comum é sempre uma interrupção ou alteração da comunicação entre o sistema nervoso central e a bexiga. É muitas vezes o resultado de doenças que afetam o sistema nervoso periférico ou central, incluindo esclerose múltipla (MS), doença de Parkinson, diabetes, tumores cerebrais e infecções, como meningite ou sífilis terminal. Espinha bífida (um defeito congênito que afeta as membranas ao redor dos nervos da coluna), neuropatia devido ao alcoolismo e deficiência de B-12 também são possíveis responsáveis. 

Lesões diretas no cérebro ou na medula espinhal, acidentes vasculares cerebrais ou anormalidades anatômicas, como hérnia de disco ou estenose do canal vertebral, podem causar alterações nas vias nervosas que levam à bexiga neurogênica. Quando a comunicação normal entre o sistema nervoso e a bexiga é interrompida, a capacidade da bexiga de encher e esvaziar de maneira coordenada é afetada, o que pode causar incontinência. 

O tratamento mais comum para a bexiga neurogênica em pacientes acamados ou em cadeiras de rodas que não conseguem esvaziar adequadamente a bexiga, é um cateter permanente de Foley. O cateterismo intermitente é uma opção para pessoas que experimentam vazamentos periódicos com episódios de secura entre eles. É um cateter descartável menor que é usado em intervalos ao longo do dia para aperfeiçoar o esvaziamento da bexiga. 

Medicamentos é outra opção de tratamento não cirúrgico para pessoas que sofrem de incontinência de urgência. Remédios como oxibutinina, tolterodina e propantelina relaxam os músculos da bexiga e ajudam a preenchê-la. Estes são conhecidos como antiespasmódicos ou anticolinérgicos e atuam bloqueando o neurotransmissor causando espasmos involuntários dos músculos da bexiga. Medicamentos antiepilépticos, suplementos de GABA e Botox também são métodos alternativos de tratamento.

 

A bexiga neurogênica pode ser debilitante e frustrante de lidar, mas manter-se informado e assumir um papel ativo e positivo no tratamento pode ajudar muito a minimizar os sintomas.

Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.
Previous
Next
More Articles
Previous
Controlar a incontinência ao viajar
Next
Bexiga hiperativa: os princípios básicos