Voltar

Entendendo o assoalho pélvico

Por Barbara C Bourassa.

 

É do conhecimento de todos que as mulheres passam por um enfraquecimento dos músculos da bexiga, vazamentos e respingos. A resposta está, em partes, no formato da região pélvica feminina e na distribuição dos órgãos desta região. A pélvis é um grande osso circular na parte média do corpo que abriga vários órgãos internos. Quando você descansa as mãos nos quadris, está tocando a pélvis. Para que possamos entender melhor a área pélvica, quais órgãos são encontrados nesta região, e o papel dos músculos de suporte, ligamentos e nervos, contatamos Raymond Rackley, MD, especialista em urologia feminina na clínica de Cleveland em Ohio. 

No nível mais básico, a região pélvica contém um complexo sistema de órgãos com funções de armazenamento e despejo, diz o Dr. Rackley. O útero é projetado para "armazenar" um bebê, enquanto a bexiga e o reto são projetados para armazenar excreções do corpo humano. Cada órgão é projetado para expelir seu conteúdo quando necessário - o útero ao dar à luz, a bexiga várias vezes ao dia e o reto uma vez ao dia ou uma vez a cada dois dias em média.

Todos esses órgãos são circundados por uma série de músculos - e ligamentos e nervos de suporte - chamados de músculos do assoalho pélvico. Embora esses músculos possam ter evoluído a partir de funções complexas em primatas, no caso dos humanos, a maioria das mulheres não está acostumada a utilizá-los, diz o Dr. Rackley. "Os músculos do assoalho pélvico estão localizados na parte inferior da bacia, você não os enxerga e não os utiliza conscientemente", observa ele. De fato, muitas mulheres não sabem da existência desses músculos até que um problema ocorra. 

Como o útero, a bexiga e o reto - assim como suas respectivas aberturas, a vagina, a uretra e o esfíncter - estão tão próximos um do outro, que qualquer problema com um órgão pode às vezes afetar os outros. Um parto difícil, por exemplo, pode afetar os nervos que controlam o movimento dos músculos da bexiga ou da uretra, ou afetar os músculos e ligamentos circundantes que controlam o fluxo de urina. 

"A ação de parto pode ser muito dramática", diz o Dr. Rackley. "Em certo sentido, o útero esmaga tudo durante a gravidez." Em algumas mulheres, isso pode resultar em problemas temporários na bexiga ou de longo prazo. 

Além disso, o parto não é o único evento na vida de uma mulher que influência os músculos do assoalho pélvico. A constipação crônica, a tosse crônica ou a cirurgia pélvica complexa também podem impactar, diz ele.

Embora muitas mulheres sintam que são culpadas por questões urinárias por algo que fizeram ou não fizeram, o Dr. Rackley diz que isso não é verdade. "Em muitos casos, é por causa da maneira como o corpo é projetado", observa ele. As mulheres têm experimentado questões relacionadas às funções da bexiga ou incontinência urinária ao longo da evolução, em parte porque o corpo humano moderno não mudou muito. 

Felizmente para as mulheres modernas, no entanto, existem muitas soluções para superar ou compensar lesões na região pélvica, incluindo medicação, alterações de comportamento, cirurgia ou até mesmo exercícios como o popular exercício de Kegel, que são projetados para fortalecer os músculos do assoalho pélvico.

 

Se você tem dúvidas relacionadas a sua saúde pélvica, consulte seu médico ou um médico especializado para obter orientação adequada.



Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.
Previous
Next
More Articles
Previous
Tudo Sobre Perdas de Urina Noturna
Next
Crescimento Da Próstata