Voltar

Bexiga hiperativa: os princípios básicos

Isso já aconteceu com você? Você nem percebe que tem que ir ao banheiro e então, de repente, você não pode chegar ao banheiro rápido o suficiente. Se for algo que acontece com frequência, pode ser um sintoma de bexiga hiperativa (sigla OAB em inglês), uma condição que afeta aproximadamente 10% da população dos Estados Unidos. 

A maioria das pessoas não pensa muito sobre a bexiga, até que ela começa a nos dar alguns problemas. Esse órgão muscular fica tenso para mover a urina dentro da uretra - um tubo abaixo da bexiga - para que você possa urinar. Com a bexiga hiperativa, esse processo é adversamente afetado por um fator perturbador, como a fraqueza dos músculos, inflamação, irritação do tecido que cobre a bexiga, problemas nervosos ou efeitos colaterais de medicamentos. (Uma infecção da bexiga pode causar os mesmos sintomas, embora este seja o assunto de outro artigo.)

 

Sintomas de bexiga hiperativa podem incluir:

 

  • Urgência - quando você sente que não pode "segurar" até chegar ao banheiro.

     

  • Frequência - urina pelo menos 8 vezes ao dia.

     

  • Vazamentos - você vaza quando tem vontade de urinar porque não consegue aguardar o tempo suficiente para ir ao banheiro.

     

  • Nocturnia - você tem que se levantar para urinar pelo menos duas vezes a cada noite.

 

O que causa bexiga hiperativa? Existem várias razões possíveis, por isso pode ser difícil determinar exatamente o que está acontecendo. Pode ser causado por:

 

  • Músculos pélvicos fracos - músculos que podem ter sido alongados durante a gravidez e o parto, causando sintomas de bexiga hiperativa.

     

  • Danos nos nervos - trauma como lesões nas costas ou radiação, ou doenças como esclerose múltipla, diabetes e derrame, podem danificar os nervos que ajudam no controle da bexiga.

     

  • Álcool ou cafeína - essas substâncias podem amortecer os nervos e afetar negativamente o sinal que a bexiga dá ao cérebro.

     

  • Excesso de peso - o excesso de peso pode pressionar a bexiga.

     

  • Desgaste tecidual devido à menopausa - a deficiência de estrogênio pode causar afinamento dos tecidos uretrais e resultar em vazamento da bexiga.

 

Se você acha que pode ter bexiga hiperativa, o primeiro passo é uma visita ao seu médico para se certificar de que o que você está enfrentando é, na verdade, bexiga hiperativa e não uma condição ou problema diferente. 

Provavelmente, o seu médico te pedirá para manter um diário das vezes que vai urinar para ajudar no seu diagnóstico. Temos uma versão impressa aqui - Plenitud Bathroom Journal - que pode ser útil. Você poderia usá-lo para registrar a quantidade de líquido que você ingere, o número de vezes que usa o banheiro, o número de acidentes que teve por causa de vazamentos, como espirrar, tossir ou não chegar ao banheiro a tempo.

 

O que pode ajudar a aliviar os sintomas da bexiga hiperativa? Existem vários fatores que podem contribuir para os sintomas da bexiga hiperativa, alguns dos quais podem ser controlados com uma abordagem natural. Considere fazer algumas dessas mudanças em seu estilo de vida:

 

Mude sua dieta - alimentos e bebidas com cafeína e ácidos podem piorar os sintomas da bexiga. Pode ajudar a eliminar ou reduzir chá, café, álcool, refrigerantes, sucos / sucos cítricos, tomates / produtos à base de tomate, alimentos apimentados e adoçantes artificiais.

 

Evite a constipação - manter hábitos intestinais saudáveis pode reduzir a pressão sobre a bexiga. Para manter a regularidade, aumente as fibras em sua dieta, faça exercícios regularmente e consulte seu médico se achar que precisa de ajuda extra.

 

Perder peso - mesmo alguns quilos extras podem contribuir para problemas de controle da bexiga.

 

Aumentar a ingestão de líquidos - Embora seja tentador reduzir a ingestão de líquidos para reduzir o vazamento, se você beber menos, a urina pode ficar mais concentrada e causar mais irritação no revestimento da bexiga.

 

Parar de fumar - Os cigarros podem causar irritação no revestimento da bexiga, enquanto a tosse que acompanha o hábito pode aumentar a pressão sobre a bexiga. 

Se sua bexiga hiperativa não for aliviada por mudanças em seus hábitos, seu médico pode prescrever um dos vários tratamentos médicos para bexiga hiperativa, incluindo:

 

Retreinamento da bexiga - trabalhe com um urologista para condicionar os músculos da bexiga a funcionarem melhor, o que pode ajudar a minimizar a bexiga hiperativa.

 

Fisioterapia - Se as perdas de urina são causadas por músculos pélvicos fracos, um fisioterapeuta do assoalho pélvico pode fortalecê-los a ponto da bexiga hiperativa deixar de ser um problema.

Medicamentos - Existem vários medicamentos prescritos que ajudam a sua bexiga a retornar à sua funcionalidade normal. Tem sido demonstrado que, em alguns casos, os antidepressivos também ajudam.

 

Estimulação do nervo sacral - Em casos mais difíceis, um pequeno dispositivo chamado neurotransmissor pode ser implantado sob a pele para enviar impulsos elétricos leves a um nervo que pode ajudar no controle da bexiga. 

Embora tenhamos coberto o básico da bexiga hiperativa, seu médico é sua melhor fonte de informações para diagnosticar e tratar a bexiga hiperativa. Se você estiver com sintomas que apontam para uma infecção da bexiga ou a presença de bexiga hiperativa, é melhor marcar uma consulta para controlá-la, para que você possa retornar ao seu estilo de vida ativo.

 

E você? Já experimentou uma bexiga hiperativa? Quais tratamentos funcionam para você?

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.
Previous
Next
More Articles
Previous
Acabando com os mitos da incontinência
Next
Cuidados com a pele: como manter sua pele saudável e livre de odores