Voltar

Cuidando da Saúde Sexual

Por Dra. Jennifer Berman.

 

Acredite ou não, a saúde sexual é um componente crítico de nossa saúde geral e bem-estar. Precisamos estar atentos para quando as coisas começam a dar errado entre quatro paredes. Eu digo aos meus pacientes para fazer do sexo uma prioridade. No entanto, quando surgem problemas na área sexual, sejam eles secura vaginal, uma queda na libido, até diminuir a intensidade do orgasmo, pode ser um sinal de que as coisas estejam desequilibradas. É hora de procurar um médico. 

As mesmas causas médicas para a disfunção erétil nos homens, que incluem pressão alta, altos níveis de colesterol, doença arterial coronariana, diabetes, estresse e medicamentos também são as causas mais comuns para a disfunção sexual em mulheres.

Os sinais e sintomas para essas condições podem não ser detectados, pelo menos inicialmente, e os pacientes frequentemente se queixam de problemas de função sexual. É por essa razão que defendo que os profissionais de saúde incluam em suas avaliações um histórico completo da saúde sexual do paciente e um exame físico para complementar. 

Os hábitos que precisamos manter para uma saúde sexual em dia são muito simples. Eu digo aos meus pacientes do sexo feminino para "usá-lo ou perdê-lo". Quanto mais sexualmente ativa a mulher está em seus últimos anos reprodutivos, mais fluxo de sangue corre pela área genital, o que, por sua vez, se traduz para mais lubrificação e maior elasticidade do tecido vaginal. Então, como nossos níveis hormonais flutuam durante a perimenopausa e diminuem durante a menopausa, é importante manter o fluxo de sangue fluindo, senhoras. 

Dieta e exercício são realmente úteis para a saúde cardiovascular, assim como a saúde sexual. Eu recomendo pelo menos 15 minutos de atividade cardiovascular por dia. O aumento das frequências cardíaca e respiratória aumentam o fluxo de sangue em todo o corpo e nas endorfinas, e os hormônios testosterona e do crescimento são liberados durante o exercício. Esses dois hormônios são potentes impulsionadores da libido e também aumentam a excitação e por sua vez o orgasmo. 

Há pesquisas que mostram que alguns alimentos que contêm combinações de vitaminas, minerais e antioxidantes afetam os níveis hormonais, ajudam a equilibrar o humor e aumentar os níveis de energia. Enquanto a pesquisa é limitada sobre as propriedades afrodisíacas de alguns desses alimentos, certamente não vai arrancar pedaço experimentar uma dessas combinações quando você estiver planejando o próximo jantar a dois. Por exemplo, abacate é um superalimento, carregado com minerais, óleos monoinsaturados, vitamina B6, zinco e uma série de antioxidantes, todos os quais potencialmente ajudam a aumentar a energia sexual e a libido. O vinho tinto também é uma fonte potente de Resveratrol, um estrogênio derivado de plantas, que possui propriedades antioxidantes e efeito de aumento da dopamina. A dopamina é uma substância no cérebro que é importante para a libido, assim como excitação e orgasmo. E, finalmente, para os amantes de chocolate, a verdade é que as qualidades afrodisíacas do chocolate estão ligadas a duas substâncias: o triptofano, que forma a serotonina, uma substância envolvida na excitação sexual, e a feniletilamina, um estimulante relacionado à anfetamina, liberado no cérebro 

Mais artigos sobre A Vida com Incontinência.
Previous
Next
More Articles
Previous
Do an End of Day LBL Review
Next
Manter o Desejo Sexual após o Desequilíbrio Hormonal